A literatura da Cris


Leitura de quadros

Meus queridos alunos, não foi possível colocar os quadros neste espaço. Criei um fotoblog para esse fim. O endereço é: fotoliteracris.nafoto.net. Clique no ícone "+ fotos" (aparecerão as imagens do 1º, 2º e 3º anos). Procure os quadros estudados em sala de aula. Bom trabalho!

Escrito por Cris às 16h33
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




2001 - Uma odisséia no espaço



Escrito por Cris às 19h57
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Realismo / Naturalismo

Entre no link do Mundo Cultural. Procure na "barra de ferramentas" o item LITERATURA. Do lado esquerdo, entre no ícone HISTÓRIA DA LITERATURA e em seguida REALISMO / NATURALISMO.

Escrito por Cris às 21h41
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Romantismo

Entre no link do Mundo Cultural. Procure na "barra de ferramentas" o item LITERATURA. Do lado esquerdo, entre no ícone HISTÓRIA DA LITERATURA e em seguida ROMANTISMO.

Escrito por Cris às 21h37
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Exemplo de exame final (2ª série)

Em todas as frases que seguem, você deve:
a) no espaço destinado à avaliação, escrever: CORRETA ou INCORRETA;
b) fazer um breve comentário sobre sua avaliação (em todos os casos) e sobre o conteúdo da frase (pode-se acrescentar outras informações) (2,0).

1) O texto que segue pertence a Gregório de Matos Guerra:

Ardor em firme coração nascido;
Pranto por belos olhos derramado;
Incêndio em mares de água disfarçado;
Rio de neve em fogo convertido:


Tu, que em peito abrasas escondido;
Tu, que em um rosto corres desatado;
Quando fogo, em cristais aprisionado;
Quando cristal, em chamas derretido.

Pode-se dizer que neste texto encontramos as seguintes características: dualidade temática da sensualidade e do refreamento, construção sintática por simetrias sucessivas, predomínio figurativo das metáforas e pares antitéticos que tendem para o paradoxo.



2) Cláudio Manuel da Costa é considerado um poeta de transição por realizar uma síntese entre a herança barroca, os ideais arcádicos e as solicitações do sentimento nativista; já a produção poética de Tomás Antônio Gonzaga demonstra sintonia com a tradição árcade da vida simples, apego à vida pastoril e divinização da mulher.

3) Leia o trecho que segue:

A flor da mocidade profanei-a
Entre as águas lodosas do passado...
No crânio a febre, a palidez nas faces,
Só cria no sepulcro sossegado!

Este texto pertence a Gonçalves Dias pela temática ligada ao byronismo, à morbidez e à negação do presente. Logicamente não pertence a Álvares de Azevedo porque este autor estava vinculado ao condoreirismo e à luta social, acreditava no ato poético como uma missão maior. Também não é um texto de Castro Alves, pois ele apresenta uma obra de temática indianista e um nacionalismo ufanista.

4) José de Alencar tomou a si a tarefa de construir as bases da nacionalidade brasileira. Mas o fez não nos moldes clássicos da epopéia, e sim na forma de romance, que passou a ser a que melhor iria expressar os anseios da burguesia. Com esse propósito, escreveu O guarani (1857) e Iracema (1865).

5) “Ao verme que primeiro roeu as frias carnes do meu cadáver dedico com saudosa lembrança estas Memórias Póstumas.”
A frase que abre o romance com que Machado de Assis inaugura o Realismo no Brasil dá a perceber que, nesse livro, a transição entre os pressupostos românticos e os naturalistas reflete-se na oscilação entre uma visão de mundo ainda subjetiva e outra, já totalmente objetiva.


Escrito por Cris às 21h18
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Exemplo de exame final (1ª série)

Em todas as frases que seguem, você deve:
a) no espaço destinado à avaliação, escrever: CORRETA ou INCORRETA;
b) fazer um breve comentário sobre sua avaliação (em todos os casos) e sobre o conteúdo da frase (pode-se acrescentar outras informações) (2,0).

1) É possível observarmos em alguns tipos de cantigas certas considerações acerca da sociedade medieval: costumes, moral, relações humanas, a História, crendices, etc. Isso fica mais evidente nas cantigas satíricas do que nas líricas.


2) Camões revitaliza uma herança recebida e impõe um padrão dentro do novo modelo literário.

3) A palavra não foi, para Padre Antônio Vieira, um instrumento de ação social e política. O seu único objetivo foi a catequização dos indígenas brasileiros para a promoção da Contra-Reforma.

4) O Romantismo, graças à ideologia dominante e a um complexo conteúdo artístico, social e político, caracteriza-se como uma época propícia ao aparecimento de naturezas humanas marcadas por egocentrismo, hipersensibilidade, alegria, descontração e crença no futuro.

5) Os romances realistas pretendem estudar as classes mais baixas da sociedade, confirmando que o indivíduo acaba adquirindo aspectos animalescos diante da engrenagem social a que está submetido.


Escrito por Cris às 21h12
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Jornalismo mais isento

Quer ler notícias e artigos mais isentos e com um olhar mais crítico? Procure nos links o "Conversa afiada" e "Vi o mundo".

Escrito por Cris às 08h11
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Clatice Lispector e João Guimarães Rosa

Veja links a respeito dos assuntos.

Escrito por Cris às 17h50
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Carlos Drummond de Andrade

Veja link do assunto.

Escrito por Cris às 17h40
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Graciliano Ramos

Veja o link sobre o assunto.

Escrito por Cris às 17h19
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Fernando Pessoa e heterônimos

Veja link a respeito.

Escrito por Cris às 23h03
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Exercícios de exame final

Em todas as frases que seguem, você deve:
a) no espaço destinado à avaliação, escrever: CORRETA ou INCORRETA (só será válido com a justificativa);
b) fazer um breve comentário sobre sua avaliação (em todos os casos) e sobre o conteúdo da frase (pode-se acrescentar outras informações) (2,0).

1) O poema que segue pertence ao livro Libertinagem de Manuel Bandeira :


O último poema

Assim eu quereria o meu último poema
Que fosse terno dizendo as coisas mais simples e
menos intencionais
Que fosse ardente como um soluço sem lágrimas
Que tivesse a beleza das flores quase sem perfume
A pureza da chama em que se consomem os diamantes mais límpidos
A paixão dos suicidas que se matam sem explicação.



Neste texto, ao indicar as qualidades que deseja para o “último poema”, o poeta retoma dois temas centrais de sua poesia. Um deles é a valorização da simplicidade; o outro é a coincidência da morte com o máximo de intensidade vital.

2) Um dos fundamentos da poética de Fernando Pessoa é o princípio do fingimento: emoções são transformadas em poesia por meio da simulação, da emoção pensada. A face mais original de Fernando Pessoa são os heterônimos. Criados como personagens autônomos, com vida própria, resultam da fragmentação da personalidade do poeta em várias outras. Profundo conhecedor da poesia portuguesa de todos os tempos, de seus variados gêneros, temáticas e estilos, Pessoa faz de seus heterônimos representantes de variadas orientações dessa tradição. Cada um deles é uma personalidade definida, com retrato físico, biografia e estilo próprios.

3) Sobre Graciliano Ramos é possível afirmar que sua obra transcreve as limitações do regional ao evoluir para uma perspectiva universal, ao mesmo tempo que sua expressão parte para o experimentalismo e para as invenções vocabulares inovadoras.

4) O poema que segue é de Carlos Drummond de Andrade:



O Lutador

Lutar com palavras
é a luta mais vã.
Entretanto lutamos
mal rompe a manhã.
São muitas, eu pouco
Algumas, tão fortes
como um javali.


Uma das constantes na obra poética de Carlos Drummond de Andrade, como se verifica nos versos acima, é a louvação do poema social.

5) Tanto em Clarice Lispector quanto em João Guimarães Rosa vemos uma prosa intimista, de caráter regionalista; as personagens são pessoas comuns que vivem seus dramas pessoais e se questionam quanto ao seu destino; uma linguagem extremamente elaborada, simbólica e inovadora. Os dois autores retratam, portanto, a realidade histórica da geração de 30.


Escrito por Cris às 12h07
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Arcadismo

Veja os links relacionados ao conteúdo.

Escrito por Cris às 19h48
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Tarefa 2

1) (Enem) Rui Guerra e Chico Buarque escreveram uma peça para teatro chamada Calabar, pondo em dúvida a reputação de traidor que foi atribuída a Calabar, pernambucano que ajudou decisivamente os holandeses na invasão do Nordeste brasileiro, em 1632.

- Calabar traiu o Brasil que ainda não existia? Traiu Portugal, nação que explorava a colônia onde Calabar havia nascido? Calabar, mulato em uma sociedade escravista e discriminatória, traiu a elite branca?

Os textos referem-se também a esta personagem.

TEXTO I: "...dos males que causou à Pátria, a História, a inflexível História, lhe chamará infiel, desertor e traidor, por todos os séculos" (Visconde de Porto Seguro, in: SOUZA JÚNIOR, A. Do Recôncavo aos Guararapes. Rio de Janeiro: Bibliex, 1949.)

TEXTO II: "Sertanista experimentado, em 1627 procurava as minas de Belchior Dias com a gente da Casa da Torre; ajudara Matias de Albuquerque na defesa do Arraial, onde fora ferido, e desertara em conseqüência de vários crimes praticados..."(os crimes referidos são o de contrabando e roubo). (CALMON, P. História do Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1959.)

Considere as afirmações que seguem, indicando se estão corretas ou incorretas, justificando suas respostas:
a) A peça e os textos abordam a temática de maneira parcial e chegam às mesmas conclusões.
b) A peça questiona a validade da reputação de traidor que o texto I atribui a Calabar, enquanto o texto II descreve ações positivas e negativas dessa personagem.

2) (Unicamp) Leia com atenção o poema de Carlos de Oliveira e responda às questões que seguem.

Lavoisier

Na poesia, natureza variável
das palavras,
nada se perde
ou cria,
tudo se transforma:
cada poema, no seu perfil
incerto
e caligráfico,
já sonha
outra forma.

O princípio enunciado por Lavoisier diz que:"na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma".
a) O que teria levado o autor a dar a esse poema o título "Lavoisier"?
b) Como podem ser interpretados seus versos finais ("Cada poema / no seu perfil / incerto / e caligráfico, / já sonha / outra forma")?

3) (UEM - Paraná)
"Subiu a construção como se fosse máquina
Ergueu no patamar quatro paredes sólidas
Tijolo com tijolo num desenho mágico
Seus olhos embotados de cimento e lágrima
Sentou pra descansar como se fosse sábado."
(Chico Buarque de Holanda, Construção)

Poderíamos classificar esta canção como uma obra com características da literatura contemporânea? Por quê?

4) Segundo Alfredo Bosi, na poesia concreta surgem os "processos que visam a atingir e a explorar as camadas materiais do significante". Explique como isso acontece nos textos.

5) (UFPR) Leia o poema que segue, e assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

Auto-escola Vênus

contato

para trás
(devagar)
para frente
(devagar)
para trás
(ACELERE)
para frente
(ACELERE)

pode desligar

a) O poeta , num reaproveitamento das conquistas modernistas na poesia, apresenta nesse poema um bom exemplo das formas fixas de construção poética e uso precioso da língua.
b) O poema parece descrever um momento do início do aprendizado de direção, representando-o de maneira a, juntamente com o nome da auto-escola, criar um paralelo com o ato sexual.
c) As citações estão muito presentes na obra concretista: nesse poema Vênus, a deusa da inteligência e da poesia, é utilizada para presentificar o convívio da máquina com a arte.
d) A concisão dos versos não implica uma dificuldade de compreensão do poema; ao contrário, é capaz de criar efeitos de ritmo e resultados irônicos significativos para a paródia sexual que se descreve.
e) O verbo "acelerar" no imperativo e a permissão final "pode desligar" geram um tom autoritário que prevalece em todo o poema; no texto enumera-se uma série de ordens para o funcionamento de uma máquina.
f) O poema é representativo de uma forte tendência de busca da coloquialidade e da extrema informalidade para a realização poética.

Escrito por Cris às 09h39
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Barroco

Veja os links relacionados ao conteúdo.

Escrito por Cris às 21h33
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
Outros sites
  UOL - O melhor conteúdo
  BOL - E-mail grátis
  Cantiga de amigo
  Trovadorismo moderno
  Análide do Auto da barca do inferno
  Combate: Camões X Pessoa
  Mudam-se os tempos
  Propaganda com soneto de Camões
  Carta de Caminha
  Carta de Caminha - texto integral
  Anchieta
  Barroco em Portugal
  Gregório de Matos
  Barroco em imagens
  Trailler sobre o Barroco
  Arcadismo (Brasil e Portugal)
  Arcadismo moderno
  Análise de poema (Cláudio Manuel da Costa)
  Manuel Bandeira - biografia e características
  Pessoa e heterônimos
  Graciliano Ramos
  Carlos Drummond de Andrade
  Clarice Lispector
  Guimarães Rosa
  Conversa afiada
  Vi o mundo
  Romantismo
Votação
  Dê uma nota para meu blog